Captura-de-Tela-2017-01-09-às-22.03.43-1024x619

Astigmatismo: os 6 sinais Principais que ajudam a identificá-lo

O Astigmatismo é um defeito óptico da estruturas do olho que faz com que a luz chegue distorcida até o fundo do olho. Essa é a definição mais simples que vemos por aí… Mas convenhamos… Ainda assim, muito complexo, não é mesmo?

 

Bem… como você sabe, nossa missão por aqui é descomplicar esses termos que mais confundem a nossa cabeça do que ajudam em alguma coisa. Meu nome é Raphael Trotta, sou médico oftalmologista pela UFMG, e no artigo de hoje, vou explicar um pouco mais sobre o astigmatismo e vou mostrar 6 sinais que podem ajudar a identificar a presença do problema.

 

No entanto, lembre-se: apenas o médico oftalmologista é capaz de diagnosticar doenças e propor tratamentos, ok?

 

Vamos começar pelo básico!

O astigmatismo é uma pequena alteração da forma do olho… ao invés de ser perfeitamente esférico, ele passa a ter um formato mais ovalado.

astigmatismo

Essa alteração mais comumente acontece na córnea, mas pode ser decorrente de alterações também no cristalino, vítreo ou mesmo na retina. Em outras palavras: o astigmatismo mais comum é uma alteração da curvatura da córnea, que faz com que ela seja mais curva em um plano e menos curva em outro plano.

Escrevi recentemente um artigo bem completo sobre a anatomia do olho, que pode ajudar a entender melhor o que são essas partes do olho.

Quando o raio de luz atravessa essa lente com curvaturas diferentes, ele é desviado de forma desigual… quando ultrapassa uma parte mais curva da córnea, ele desvia muito mais do que quando ultrapassa uma parte menos curva. Isso faz com que os raios de luz atinjam a retina com focos também diferentes.

astigmatismo

 

Para saber mais sobre esse probleminha, escrevi um artigo que explica em detalhes tudo sobre o astigmatismo.

 

No artigo de hoje, vamos falar sobre alguns sinais desse distúrbio, que podem esclarecer algumas coisas para você! Vamos lá?

 

Sinal #1 do Astigmatismo: Embaçamento Visual

O astigmatismo é um dos tipos de grau que acabam levando ao embaçamento visual, e pode acontecer em todas as idades. Esse embaçamento pode ser bem leve ou muito intenso, e costuma atrapalhar tanto a visão de LONGA distância quanto a de CURTA.

A imagem que encontrei e que melhor representa esse efeito é a seguinte (do MarabaDiario.com):

astigmatismo-sintomas

 

O embaçamento costuma ter o aspecto de distorção vertical ou horizontal, na maior parte das vezes.

No entanto, o astigmatismo mais leve costuma ser mais notado com embaçamento para longe do que na visão de perto. Isso acontece pois conseguimos compensar o embaçamento para perto alterando a distância de leitura, o que não dá para ser feito na visão de longa distância…  Graus maiores de astigmatismo (mais do que 1,5 a 2 graus) acabam também atrapalhando a visão de perto.

Portanto, não existe muito essa história de “miopia é para longe, astigmatismo é para perto”.

 

Sinal #2: Incômodo com a luz

Lá em cima nós falamos que o astigmatismo acaba gerando uma diferença no desvio da passagem dos raios de luz pelo olho, não é mesmo? Esse pequeno problema acaba causando um efeito desagradável: como os raios de luz atingem o fundo do olho em posições diferentes, eles acabam gerando uma grande confusão quando estamos em ambiente com muita luz e com muitas fontes.

 

 

luz astigmatismo
luz astigmatismo

A “prova dos 9” acontece com o farol de carro, à noite… ao invés de um foco nítido, quem tem astigmatismo costuma queixar de um “halo de luz em torno do farol”.

O problema acontece pois cada raio não tem um ponto único de foco. Logo, o excesso de raios luminosos partindo de fontes diferentes de luz acaba gerando uma dificuldade de isolamento. Nosso cérebro não consegue escolher entre eles e o efeito final é muito conhecido: um “clarão de luz” que incomoda demais os portadores de astigmatismo.

Na prática diária, é muito comum vermos pacientes com astigmatismo se queixarem de fotofobia muito antes de terem embaçamento visual.

Quando usamos óculos ou lentes para correção do astigmatismo, os raios são corrigidos e passam a atingir a retina em um ponto único, ao invés de terem múltiplas chegadas. Logo, esse é um dos sintomas que mais se beneficiam de um bom tratamento!

O sinal #3 tem muito a ver com esse aqui.

 

Sinal #3 do Astigmatismo: cerrar os olhos em ambientes claros

No #2 vimos que o excesso de desvios que os raios sofrem ao atravessar a córnea, no astigmatismo, acaba gerando uma enorme confusão para nosso cérebro, não é mesmo?

Agora, veja que interessante: como forma de diminuir o volume de raios que entram nos olhos e para evitar que os raios passem por regiões com curvaturas diferentes em nossa córnea, uma reação normal que pessoas com astigmatismo possuem é cerrar os olhos involuntariamente em ambientes com muita luz.

Quando elas “apertam” as pálpebras, ao contrário do que muitos pensam, essas pessoas não estão “forçando a visão”. Elas estão apenas diminuindo o espaço por onde os raios de luz conseguem passar e, como efeito disso, acabam centralizando a passagem dos raios de luz para o meio da córnea.

Como no centro da córnea a tendência é que a córnea seja virtualmente plana (uma questão de geometria: os raios chegam com ângulo de 90 graus no ponto central da córnea), os raios acabam não sendo muito desviados.

astigmatismo sintomas

E, como são menos desviados, a visão fica mais nítida! Fantástico, não é mesmo?

Para fazer um teste, experimente fazer um pequeno furo com um palito em um papel. Algo parecido com isso:

sinais astigmatismo

Agora, aproxime o papel do olho com visão embaçada e foque em um objeto a longa distância. Se o problema for astigmatismo, apenas, é possível que a sua visão melhore ao olhar pelo pequeno buraquinho.

 

 

Sinal #4: Dor de Cabeça e Dor nos Olhos

Como disse anteriormente, a diferença de curvatura da córnea acaba gerando mais de um ponto focal, no fundo do olho. Além de todos os sinais que já mostramos, essa pequena diferença no foco acaba gerando uma complicação: a musculatura que existe dentro dos olhos (sob a qual não temos controle voluntário) acaba ajustando o seu relaxamento para dar o foco em um desses pontos.

Como no astigmatismo os pontos principais de foco são mais do que um… A musculatura pode acabar ora contraindo demais para pegar uma região com foco mais nítido para uma posição do olhar… E ora relaxando demais para tentar pegar um ponto de foco mais nítido para outra posição do olhar. O nome dessa “contração”, no olho, é o mesmo que “acomodação”. Veja na imagem abaixo, que tirei do site sideplayer.com.br, como essa contração altera o formato das lentes do olho:

astigmatismo-musculo

Quando o músculo contrai, o cristalino fica mais “redondo” e, como aumenta seu diâmetro, ganha alguns graus adicionais ao fazer isso (essa musculatura funciona muito bem até os 40 anos – portanto, depois dessa idade, sintomas como a dor de cabeça começam a ficar menos frequentes, quando relacionadas ao astigmatismo).

E adivinhe só: essa contração e relaxamento, ao longo de um dia inteiro de “trabalho”, acaba gerando um desconforto enorme que pode culminar com dor de cabeça e uma sensação de peso / dor na musculatura em torno dos olhos. Tudo isso somado à contração da testa e sobrancelha que acontece ao cerrar os olhos para tentar enxergar melhor…

O mais interessante: em graus baixos de astigmatismo esse desconforto pode ser maior do que em graus maiores… isso acontece pois, em graus menores, os pontos de foco estão próximos, o que acaba gerando uma confusão maior da musculatura… Quanto maior o grau, maior a distância entre os pontos de melhor foco, o que acaba gerando a “escolha” por um deles, sem que haja uma contração e relaxamento alternados da musculatura, e acaba gerando menos incômodo.

Por vezes vemos pessoas chegando no consultório com graus altos de astigmatismo (2, 3 graus…) e com poucas queixas, afinal, foram acostumadas durante a vida toda com o foco naquela posição (imagine o alívio dessa pessoa ao usar um óculos com a lente correta?).

 

Sinal #5 do astigmatismo: distorção em planos

Um dos efeitos mais interessantes do astigmatismo acontece quando olhamos para objetos que possuem linhas retas em sua formação. Por um efeito decorrente da alteração da curvatura da córnea, quando os raios de luz atravessam a região mais curva da córnea eles acabam sofrendo um desvio maior do que aqueles que atravessam a região mais plana.

Por causa disso, o embaçamento da visão não é igual em todos os planos. Veja a imagem abaixo:

astigmatismo

Quando uma pessoa que não possui astigmatismo olha para essas linhas, elas parecem ser todas iguais, com mesmo tom e nitidez. Quando uma pessoa com astigmatismo olha para a mesma figura com um olho de cada vez (é claro que esse efeito é tão maior quanto maior é o grau), algumas linhas ficam mais nítidas e, geralmente no plano oposto, outras linhas ficam mais embaçadas.

Tudo isso que estamos falando funciona muito bem para astigmatismos clássicos e regulares… no entanto, existem outros tipos de astigmatismos que podem apresentar comportamento diferente. Consulte seu oftalmologista para tirar suas dúvidas, afinal, nada pior do que possuir um problema e não entender exatamente como ele se comporta, não é mesmo?

 

Sinal #6: visão dupla

Vamos com calma agora… quando o grau do astigmatismo é um pouco mais alto, a distorção pode ser tão significativa que, em algumas situações (especialmente na visão de longa distância), o indivíduo pode notar que as linhas de leitura estão duplicadas.

Isso acontece pelo mesmo motivo que já comentamos até aqui: os raios chegam à retina em regiões diferentes, o que pode dar a impressão para o nosso cérebro de que se tratam de 2 objetos ao invés de um só.

Em graus menores, quando a distância entre os focos não é tão grande e as imagens ainda não “saem” uma de dentro da outra… é muito comum a sensação de “borramento” ou “fantasmas” em torno dos objetos. Isso acontece pois o desfoque foi o suficiente para dificultar a união das imagens, mas não foi grande o suficiente para separá-las.

 

Bem! Esses são os sinais que mais chamam a minha atenção quando o assunto é astigmatismo. Não deixe de ler o artigo completo em que explico tudo sobre o astigmatismo, sintomas e tratamento.

Se estiver em BH e quiser fazer uma visita, agende sua avaliação! Os dados estão na página principal do Oftalmologista Bh.

Abraços!