estudo-sugere-que-protec3adna-no-olho-humano-age-como-bc3bassola1

Manual anatomicamente completo sobre o olho humano

[pullquote]Meu nome é Raphael Trotta, sou médico oftalmologista, e responsável por esse portal. Escrevi esse artigo para servir como base para o entendimento de todos os outros que vamos publicando aos poucos aqui no blog. Se você tiver alguma dúvida sobre as estruturas que estivermos abordando nos próximos posts, recorra a esse manual que contém todas as informações necessárias sobre a anatomia dos nossos olhos.[/pullquote]

Sabe quando seu oftalmologista te diz que sua úvea está completamente normal e você simplesmente fica com cara de paisagem pois não faz a menor idéia do que ele está falando?

Pois bem: você acabou de encontrar o seu lugar. Nesse post você vai entender melhor como é organizado o olho humano e vai conhecer as suas principais estruturas. E tudo bem se você não entende nada sobre Oftalmologia.

Ao final desse post você vai finalmente entender o que é uma córnea e vai passar a chamar a “menina dos olhos” pelo seu nome próprio, quer apostar?

Então… vamos lá? Para facilitar, vou dividir o olho em duas grandes regiões: a parte da frente e a parte de trás (ou o fundo do olho, como você preferir).

Vou começar com a parte da frente.

 

Segmento anterior

Bem… Veja a imagem abaixo:

olho humano anatomia visão

 

Reveladora, não é verdade? Os nossos olhos são protegidos pelas pálpebras em sua parte anterior e lá atrás ele fica alojado em uma cavidade óssea, chamada órbita. Em sua parte exposta, já podemos perceber algumas estruturas:

 

Esclera, episclera e conjuntiva

conjuntiva esclera episclera

A parte branca do olho é uma estrutura bem rígida e resistente, que é formada por uma série de membranas, cada uma com uma funcionalidade: a esclera (a mais profunda), a episclera (intermediária)  e a conjuntiva (a mais superficial). A nossa conjuntiva apresenta alguns pequenos vasinhos sanguíneos, que levam os minerais e nutrientes para essa parte de nossos olhos.

 

Córnea e câmara anterior

córnea

Na parte da frente, a esclera é substituída por uma estrutura única e muito importante para nossa visão: a córnea. Note nessa figura que a córnea é aquela estrutura que parece uma gelatina, que fica na frente da íris (a parte colorida dos olhos). A córnea deve ser transparente para permitir a passagem de luz. Logo atrás da córnea e antes de chegar na íris, possuímos um espaço que é preenchido por um líquido, chamado humor aquoso. Esse espaço tem o nome de câmara anterior (câmara, pois é um espaço. Anterior, pois está na parte da frente do olho. Simples, né?).

Veja um exemplo em que a córnea perdeu a sua transparência:

córnea transparente

 

Íris e pupila

iris pupila

 

Logo atrás da córnea, encontramos a íris: pode não parecer, mas ela é uma das estruturas mais ricas em vasos sanguíneos do nosso olho. Juntamente com outras duas estruturas que vamos conhecer daqui a pouco, ela faz parte do complexo que denominamos úvea.

Veja essa representação dos vasos sanguíneos dessa região:

íris uveíte

Sem dúvida alguma, a íris é uma das estruturas que mais nos fascina. Suas cores e formatos únicos são um dos grandes responsáveis pela beleza do olho humano. Enfim… Já reparou que a íris possui um buraquinho na sua região central? À esse buraco damos o nome de pupila (a “menina dos olhos”), que nada mais é do que uma abertura circular da íris.

 

Cristalino e corpo ciliar

cristalino

Logo atrás da pupila, encontramos uma estrutura que lembra muito uma lente de óculos. Ela também funciona como uma: é o cristalino. Ele tem esse nome pois também, como a córnea, deve ser transparente. Ele fica suspenso dentro dos nossos olhos por uma série de pequenos filamentos, que o conectam com uma estrutura muscular denominada corpo ciliar. Quando a musculatura do corpo ciliar contrai, o cristalino muda seu formato, alterando o foco da nossa visão para conseguir enxergar mais de perto.

Você reparou que nessa foto aqui em cima o cristalino está um pouco amarelado e opaco? Pois bem… Essa é uma das principais doenças que acometem o cristalino: a catarata. Veremos mais sobre ela em outros posts.

 

Em resumo:

São essas as principais estruturas do segmento anterior do olho: a parte branca (esclera, episclera e conjuntiva), a córnea (parte de gelatina que fica na frente da parte colorida dos olhos), a íris (a parte colorida), a pupila (abertura da íris), o cristalino (a lente natural que possuímos dentro do olho) e o corpo ciliar (que é a segunda parte da úvea). Agora, vamos para a parte de trás.

 

Segmento posterior

 

Humor Vítreo

vítreo

Lá na parte de trás do olho, temos uma grande cavidade que é preenchida por um gel, quando nascemos. Esse gel tem o nome de vítreo. O vítreo é a substância que dá volume aos olhos e ainda possui algumas outras nobres funções, que conheceremos mais tarde. Normalmente, ele se encontra aderido nas estruturas adjacentes, mas algumas vezes ele pode se soltar em determinadas regiões – exatamente como mostra a foto acima. Geralmente, esses descolamentos do vítreo não causam maiores problemas, mas veremos em outros posts que isso pode trazer algumas consequências. Bem abaixo da esclera (que também está presente na parte posterior do olho), temos duas camadas muito importantes.

 

Coróide

coróide uveíte

A coróide é a terceira parte da úvea. Juntamente com a íris e o corpo ciliar, a coróide representa a chamada “túnica vascular” do olho. Em outras palavras, é a camada do olho que contém a grande maioria dos vasos sanguíneos que vão levar glicose e nutrientes para as células dos nossos olhos.

 

Retina

retina

Logo abaixo dela, temos uma estrutura simplesmente fantástica: a retina. A retina é uma camada muito delicada, formada por 10 fileiras de células empilhadas, cuja função é extremamente importante: ela transforma a luz que o olho capta em impulsos elétricos, que serão encaminhados para o nosso cérebro para que ele entenda aqueles sinais como uma visão.

 

Nervo Óptico

nervo óptico visão ótico

Para isso, as fibras da retina precisam se reunir, na parte de trás do olho, para caminharem em conjunto em direção ao cérebro. Olhe novamente naquela primeira foto (a que tem o olho partido no meio, com o nome das estruturas) e preste bastante atenção na parte amarelinha de trás. Os prolongamentos das células da retina formam uma estrutura cilíndrica na parte de trás do olho, que chamamos de Nervo Óptico. Em seu interior, passam alguns vasos sanguíneos que vão levar os nutrientes para as células mais superficiais da retina (no caso, as mais internas).

 

Bem! Esse foi um ótimo começo! No próximo artigo irei comentar um pouco sobre a anatomia das pálpebras e das vias lacrimais.