idoso.oculos-1024x682

Conheça o principal fator de risco para glaucoma

Olá! No nosso último artigo, falamos um pouco mais sobre o glaucoma e suas classificações. Se você quiser rever, acesse aqui e conheça os tipos de glaucoma. Se você quiser começar do zero nesse assunto e entender melhor o que é o glaucoma, recomendo a leitura desse tutorial sobre glaucoma, para pacientes. [highlight]Agora que já estamos preparados, vamos conhecer os principais fatores de risco para glaucoma.[/highlight] [pullquote] Meu nome é Raphael Trotta, sou médico oftalmologista, e resolvi escrever essa página para servir de fonte de consulta para os pacientes que acabaram de ouvir sobre o assunto e estão cheios de dúvidas sobre esse problema. Se persistirem questionamentos, agende uma consulta com seu oftalmologista e esclareça todas as suas dúvidas sobre o assunto! [/pullquote]

Então, vamos seguir em frente.

O meu objetivo de hoje é te mostrar um pouco sobre os principais fatores de risco para glaucoma – aqueles fatores associados ao desenvolvimento e progressão da doença.

Não se preocupe se você não entender um ou outro tópico por enquanto, pois irei passar de forma mais detalhada em cada um deles.

Então, sejamos diretos: veja abaixo os fatores de risco para glaucoma:

 

  1. [highlight]Pressão intraocular (PIO, pressão dos olhos)[/highlight]
  2. Idade
  3. [highlight]História familiar de glaucoma[/highlight]
  4. Etnia
  5. Paquimetria (espessura da córnea)
  6. Pressão de perfusão ocular diminuída (pressão com que o sangue chega até os olhos)
  7. Diabetes tipo 2
  8. Ametropias (tipos de grau)
  9. Fatores genéticos
  10. Outros fatores

 

Você deve ter percebido que coloquei em negrito o primeiro e o terceiro itens: pressão intraocular e história familiar. Não foi à toa: [highlight]sem sombra de dúvidas, a pressão intraocular é o principal fator de risco[/highlight] associado ao desenvolvimento do glaucoma, seguido pela história familiar. Por esse motivo vamos começar por ela! Inclusive, dividi esse artigo em duas áreas: pressão intraocular e outros fatores de risco para glaucoma. Vamos em frente!

 

Glaucoma e pressão intraocular

Como vimos no último artigo, o glaucoma é um tipo de doença do nervo da visão que provoca alterações típicas no campo de visão do paciente, com perda de visão justamente nos locais correspondentes à lesão do nervo óptico.

 

pressão ocular ideal fator de risco

 

[highlight]O principal fator de risco para glaucoma é o aumento da pressão intraocular.[/highlight] Segundo diversos estudos clínicos, a quantidade de casos de pacientes com Glaucoma Primário de Ângulo Aberto (o principal tipo de glaucoma – se tiver dúvidas sobre a classificação do glaucoma e seus tipos, veja esse artigo aqui) aumenta à medida que se eleva o nível da pressão ocular.

[pullquote] De acordo com o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas do Glaucoma, publicado no Diário Oficial da União em novembro de 2013, a [highlight] pressão ocular normal varia de 10-21 mmHg (milímetros de mercúrio é um tipo de medida de pressão).[/highlight] Além disso, o comum é que a diferença de pressão dos dois olhos não seja superior a 2 mmHg.[/pullquote]

Ainda, temos vários estudos que comprovaram que a [highlight]redução da pressão intraocular retarda a progressão do glaucoma.[/highlight] No entanto, medicina não é uma ciência exata. Aqui do lado, você viu que a pressão normal varia de 10 a 21. No entanto, nem todos os pacientes com pressão superior a 21 possuem glaucoma, e essa é uma questão conceitual muito importante: [highlight]o glaucoma não é a elevação da pressão ocular,[/highlight] mas sim uma neuropatia óptica (doença do nervo da visão), com padrão típico.

Porém, quando dizemos que o valor da pressão intraocular é o principal fator de risco glaucoma, estamos dizendo que um paciente com pressão intraocular de 30 mmHg possui uma chance muito maior de desenvolver glaucoma do que um paciente com pressão intraocular de 15 mmHg.

 

Outros fatores de risco para desenvolvimento do glaucoma

Muito bem! Para essa segunda parte, vou te mostrar alguns dados [highlight]comprovados por estudos científicos,[/highlight] que exemplificam o que quero dizer.

 

Idade

fator de risco para glaucoma idade

Os casos de glaucoma aumentam SIGNIFICATIVAMENTE com o [highlight]aumento da idade do paciente.[/highlight] Isso é muito mais válido entre os pacientes de origem latina e os afrodescendentes. Pacientes com 70 anos tem um risco maior de desenvolver glaucoma quando comparados com pacientes de 30 anos. Portanto, conforme vamos envelhecendo, o controle oftalmológico deve ser mais regular e periódico. Assim sendo, idade elevada é um dos fatores de risco para glaucoma.

 

História familiar

fator de risco para glaucoma família

Depois do nível da pressão intraocular, sem sombra de dúvidas esse é o [highlight]segundo maior fator de risco[/highlight] para desenvolvimento do Glaucoma. Alguns estudos demonstraram que basta um único caso de glaucoma confirmado na família para aumentar de forma substancial o risco dos demais familiares desenvolverem glaucoma.

Para se ter uma ideia, o risco de uma pessoa que possui um irmão com glaucoma desenvolver a doença é [highlight]9,2 vezes[/highlight] maior do que na população geral. Portanto, casos de glaucoma na família, principalmente com parentesco próximo, é um importante fator de risco para glaucoma.

 

Etnia

etnia fator de risco para glaucoma

Indivíduos afrodescendentes e de origem latina possuem risco [highlight]3 vezes maior[/highlight] de desenvolver o glaucoma e, além disso, um risco de cegueira por glaucoma [highlight]6 vezes maior[/highlight] do que a população de origem caucasiana. Já para o glaucoma de ângulo fechado, o risco é maior em indivíduos de etnia amarela.

 

Paquimetria

paquimetria fator de risco para glaucoma

Paquimetria nada mais é do que a medida da espessura da córnea. Indivíduos com [highlight]córneas mais finas[/highlight] (paquimetria menor que 555 micra) estão relacionados ao aumento dos danos glaucomatosos (no entanto, não se sabe se a córnea fina é o motivo direto para isso, ou se apenas está relaciconado a um valor subestimado da pressão intraocular). Córnea de espessura baixa é um fator de risco para glaucoma.

 

Pressão de perfusão ocular diminuída

fator de risco para glaucoma

A pressão de perfusão ocular nada mais é do que a diferença entre a pressão arterial e a pressão intraocular. Em outras palavras, significa o seguinte: quando a pressão do olho está elevada e a pressão arterial está baixa, a diferença entre elas reduz e o sangue tem mais dificuldade em vencer a resistência para chegar com seus nutrientes até as células sensoriais da retina. Dessa forma, uma baixa pressão arterial pode estar relacionada ao desenvolvimento do glaucoma primário de ângulo aberto.

Alguns estudos sugeriram que uma [highlight]pressão arterial menor que 125 x 50 mmHg[/highlight] estão relacionados a um aumento da prevalência do glaucoma. Portanto, em alguns casos específicos de glaucoma, é interessante realizar avaliação clínica ou mesmo alguns exames específicos como o MAPA (medição ambulatorial da pressão arterial – um exame que afere a medida da pressão nas 24h, para avaliar se existe queda pronunciada, principalmente no período noturno).

 

Diabetes tipo 2

glaucoma diabetes

O diabetes, em última instância, pode ser considerado como um grande vilão para as células retinianas. Além de provocar danos diretos à retina, causando a retinopatia diabética, o dano que ela causa microscopicamente no nervo óptico também podem culminar com o desenvolvimento do glaucoma. Portanto, controle da glicose é fundamental nesses pacientes. A presença de diabetes é também um fator de risco para glaucoma.

 

Ametopias

miopia glaucoma

O glaucoma primário de ângulo fechado é mais comum em pacientes que possuem [highlight]hipermetropia.[/highlight]

Pacientes com alta [highlight]miopia,[/highlight] em alguns estudos, apresentaram uma vulnerabilidade maior ao dano pelo glaucoma (pacientes com miopia e glaucoma tiveram progressão dos danos mais rapidamente do que em pessoas que não possuíam grau).

 

Fatores Genéticos

genética glaucoma

A maioria dos casos [highlight]não está vinculado a fatores ligados aos genes,[/highlight] o que sugere que o glaucoma, provavelmente, tem origem em fatores diversificados.

 

Outros

Alguns fatores como [highlight]Enxaqueca e Vasoespasmo periférico[/highlight] foram relacionados ao desenvolvimento do glaucoma, ao passo que outros, como Hipertensão Arterial, não. Portanto, a ciência está em constante evolução para entender melhor os fatores de risco e proteção no caso do glaucoma.

 

[blockquote]Portanto, como podemos perceber, o desenvolvimento do glaucoma está realcionado a uma série de fatores que podem e tantos outros quen não podem ser controlados. Dessa forma, recomenda-se que pacientes que possuem algum tipo de fator de risco para o desenvolvimento da doença sejam triados anualmente, com um consulta oftalmológica voltada também para esse fim. Além disso, como alguns fatores são ocultos (um bom exemplo é a pressão intraocular – que mesmo quando aumentada pode não dar nenhum sintoma), é interessante que todos realizem consultas periódicas para avaliar a possibilidade dessa e de outras doenças. [/blockquote]