astigmatismo-visão-borrada-1024x682

Astigmatismo

Astigmatismo e suas causas

O astigmatismo é uma alteração que faz com que a luz, ao atravessar as estruturas oculares, chegue com [highlight] foco borrado ao atingir a retina.[/highlight] No astigmatismo, ao invés de um ponto focal único, forma-se uma área de foco distorcido, em que a visão não fica completamente nítida.

O astigmatismo causa [highlight]visão borrada ou distorcida, tanto de perto quanto de longe.[/highlight] Em graus menores, é mais fácil notar os sintomas na visão de longa distância. Nesta anomalia, a córnea e o cristalino têm formas irregulares refratando a luz em áreas diferentes da retina, ao invés de focalizar os raios em um único local, como em um olho normal. Veja abaixo:

 

astigmatismo

 

As causas de seu aparecimento são geralmente [highlight]genéticas.[/highlight] Com uma certa frequência, pessoas acometidas com astigmatismo (que pode ocorrer em qualquer idade) também possuem outros problemas como miopia e hipermetropia. Além disso, ele pode surgir por doenças das pálpebras, lesões oculares, traumatismos e outros fatores.

O astigmatismo simples e de grau baixo geralmente não acarreta problemas sérios para o futuro da visão dos pacientes. No entanto, o [highlight]astigmatismo que sempre cresce, atinge valores mais altos e se torna mais irregular deve ser acompanhado de perto pelo oftalmologista, uma vez que pode mascarar a presença de doenças iniciais.[/highlight] A principal doença que geralmente se esconde por trás de um astigmatismo com essas características é, sem sombra de dúvidas, o [highlight]ceratocone[/highlight] – uma alteração que pode se tornar complexa e acarretar riscos maiores para o olho, caso não seja diagnosticada e tratada precocemente.

 

astigmatismo visão borrada

 

Sintomas do astigmatismo

Os sintomas comuns do astigmatismo são:

  • [highlight]Visão embaçada[/highlight]
  • Dificuldade para visualizar de perto quando executando atividades como leitura
  • [highlight]Dores de cabeça,[/highlight] cansaço ocular e até dores nos músculos ao redor dos olhos
  • [highlight]Incômodo com claridade[/highlight]
  • Visão nítida em determinados planos (objetos na horizontal, por exemplo) e borrada em outros (objetos inclinados ou na vertical, por exemplo).

 

Além do astigmatismo, outros problemas podem também prejudicar a visão. Conheça mais dois tipos de grau:

 

Tratamento do astigmatismo

O objetivo do tratamento para o astigmatismo é [highlight]melhorar a visão do paciente corrigindo a irregularidade da refração.[/highlight] Dependendo do tipo de astigmatismo e o quanto ele afeta a vida do indivíduo, os tratamentos podem ser:

  • Lentes de contato
  • Óculos com lentes que compensam a forma irregular dos olhos
  • Cirurgia refrativa em suas várias formas, dependendo do aval do oftalmologista e da análise individual

Infelizmente, diferentemente do que a maior parte das pessoas pensam, a correção do grau do astigmatismo com óculos, lente ou mesmo cirurgia [highlight]não é capaz de impedir o avanço do grau.[/highlight] O uso do óculos ou qualquer outro tratamento não é capaz de impedir o avanço do grau. O grau irá aumentar ou reduzir, de acordo com questões genéticas e ambientais muito mais complexas.

 

Lentes de contato rígidas x Lentes de contato gelatinosas tóricas

 

lentes astigmatismo

 

O uso de lentes de contato é um [highlight]pouco mais complexo do que parece.[/highlight] Em breve escreverei um artigo específico para esse fim, mas enquanto ele não sai, vou explicar brevemente sobre essas duas opções.

As lentes de contato mais utilizadas na prática oftalmológica são as [highlight]gelatinosas e as rígidas gás-permeáveis[/highlight] (normalmente conhecidas apenas como lentes rígidas). Cada uma delas possui as indicações e contra-indicações, mas, em geral, resumimos da seguinte forma:

[pullquote] Independente da lente escolhida, o acompanhamento oftalmológico deve ser feito de perto. As lentes, além do grau, possuem curvatura, diâmetro e materiais específicos. Dessa forma, a compra das lentes em óticas e farmácias é extremamente desencorajado por oftalmologistas. O único profissional habilitado para realizar a adaptação das lentes de contato é o oftalmologista. Não pretendo entrar nos méritos legais, se é certo ou não, mas a adaptação de lentes de contato é um procedimento médico e, pessoalmente, acredito que as lentes devem ser sempre feitas com o oftalmologista. É um risco adicional comprar lentes em óticas, ainda mais sem as devidas especificações.[/pullquote]
  • [highlight]Lente rígida:[/highlight] menos confortável, porém mais segura do ponto de vista infeccioso. Mais indicada em casos de astigmatismo, principalmente em graus mais elevados.
  • [highlight]Lente gelatinosa:[/highlight] mais confortável, porém com maior risco de complicações.

Mas vamos ao que interessa. Pessoas com alto grau de astigmatismo devem, idealmente, usar lentes de contato rígidas, devido à sua maior capacidade de correção. Apesar de não serem muito confortáveis, são uma opção viável para quem não deseja usar óculos – além disso, são lentes muito [highlight]mais seguras[/highlight] do que as gelatinosas, como veremos nos artigos de lentes de contato.

Para pessoas com graus menores o uso de lentes gelatinosas pode ser uma opção. Com graus maiores, idealmente as lentes tóricas devem ser usadas. Em graus menores, é possível discutir com o oftalmologista a possibilidade de lentes mais simples, que compensam uma parte do grau e permitem uma visão razoável.

 

Acompanhamento do astigmatismo

O acompanhamento do astigmatismo isolado deve ser combinado caso a caso. [highlight]Com graus menores e de baixo risco, o controle pode ser feito anualmente.[/highlight]

Já naqueles casos que levantam [highlight]suspeita de doenças corneanas, como ceratocone, o acompanhamento deve ser feito com uma periodicidade maior.[/highlight] O exame oftalmológico é de suma importância nesses casos, uma vez que permite o diagnóstico precoce e tratamento em tempo hábil para diversos desses problemas.

Caso tenha astigmatismo, visite seu oftalmologista anualmente para avaliação de grau e detecção precoce de doenças que podem levar a cegueira, como o ceratocone. Se tiver outros problemas oculares, as frequências das consultas devem ser combinadas diretamente com seu médico oftalmologista!